quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Compras compulsivas: Como saber a hora de parar?

Transtorno atinge homens e mulheres do mundo inteiro


Entrar no shopping de mãos vazias e sair carregado de sacolas com roupas novas, bolsas, sapatos, livros dvd's, jogos de vídeo game, presentes, etc, é a realidade dos indivíduos que sofrem do Transtorno por Compras Compulsivas. "O comprador compulsivo sente uma necessidade de aliviar as emoções e angústias através da compra. Eles compram para fugir e esquecer os problemas", afirma a psicóloga-clínica Renata Maransaldi.

De acordo com a psicóloga, esses indivíduos sentem prazer ao fazer compras, porém angústia e ansiedade não são bons companheiros nessas horas! "Eles agem pelo impulso desses sentimentos e não param para pensar se realmente precisam daquilo que estão comprando", completa Renata.

O Transtorno por Compras Compulsivas é comum entre homens e mulheres na mesma proporção, no entanto as mulheres com uma média entre 30 e 50 anos são as que mais procuram terapia para solucionar o problema. "A compulsão pode se iniciar na juventude, mas dificilmente é percebido, mais tarde as dificuldades financeiras começam a aparecer podendo acarretar em problemas familiares e nota que algo está errado e vão ao especialista", completa a psicóloga.

Os compradores compulsivos possuem uma falha no organismo e não conseguem resistir ao impulso, o que pode levar a situações mais graves, como dívidas, ficar com o nome sujo, deixar de ter acesso ao crédito, começam a pedir dinheiro emprestado, fazer financiamentos e até mesmo furtar. Para não chegar a essas situações, Renata deixa algumas dicas: "Pare de andar com o cartão de crédito e talão de cheques. Saia sempre com dinheiro contado para não ultrapassar os limites. Também é válido diminuir o limite de crédito ou até mesmo cancelar os cartões. Além disso, descubra as causas de sua insatisfação e veja o que pode mudar em sua vida".

Então pessoal, cuidado com a compulsão de fim de ano e aproveite para começar 2014 sem dívidas e tranquilo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário