segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Congelamento de Óvulos

As prioridades das mulheres mudaram muito ao longo dos anos. Antigamente, no tempo de nossas avós, o casamento e os filhos eram os melhores caminhos para uma vida feliz. Hoje tudo mudou. Não que a família não seja importante, mas a vida profissional também ganhou lugar nessa coleção de prioridades. Fora as viagens, o estudo, a diversão... E com isso, dúvidas surgem: qual o melhor momento de engravidar? Deixo para mais tarde? E quais os riscos da gravidez tardia? Por conta disso, muitas mulheres têm optado pelo congelamento do óvulo, procedimento cada vez mais comum no Brasil e no mundo.


A técnica de congelamento melhorou muito nas últimas três décadas. Se na década de 80 somente 10% dos casos davam certo, hoje esse número aumentou para 30% a 40%, segundo a Dra. Ana Lucia Beltrame, especialista em Reprodução Humana. "A técnica mudou, a qualidade do congelamento também, e o procedimento tornou-se mais simples. Na vitrificação, os óvulos são congelados com uma velocidade extremamente rápida, o que reduz danos durante o processo. Hoje, o armazenamento de 6 a 10 óvulos é suficiente para uma gestação", garante.

É preciso ficar atenta a quem a técnica é indicada: para mulheres que têm histórico de menopausa precoce entre os familiares; para as que passarão por quimioterapia ou radioterapia; que tem mais de 35 anos, sem parceiro, que desejam conservar sua fertilidade; e para casais que obtiveram óvulos em excesso durante um processo de fertilização in vitro.


Não existe uma idade máxima para que você opte pelo congelamento, mas é necessário estar ciente de que passar pelo procedimento depois dos 40 anos vai resultar em um óvulo mais velho, que pode não tornar-se um embrião. "Uma boa faixa etária para 'guardar' o óvulo seria abaixo dos 35 anos. Quando a mulher congela o óvulo com mais de 40, há somente 10% de chance de a fertilização dar certo", explica.

E quanto tempo o óvulo pode ficar congelado? "Durante anos. Quando o procedimento é bem feito, ele preserva suas características e pode ser utilizado anos mais tarde. Assim que passou pelo procedimento, o óvulo não envelhece mais e suas características são mantidas. Posso dizer que 80% a 90% sobrevivem após o descongelamento", responde a Dra. Ana Lucia Beltrame.


Nenhum comentário:

Postar um comentário