terça-feira, 9 de setembro de 2014

Coração Alerta

Reduzir mortes por infarto é uma atitude para todos

Setembro é o mês do coração e do combate ao infarto do miocárdio. A SBHCI (Sociedade Brasileira de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista) e a SBC (Sociedade Brasileira de Cardiologia) idealizaram a Campanha Coração Alerta, que, desde 2012, visa reduzir as mortes por infarto no Brasil alertando a população sobre a importância de identificar seus sinais e sintomas, do rápido atendimento e de se conhecer os fatores de riscos para o seu aparecimento. Afinal, o infarto do miocárdio, ou doença isquêmica do coração, é um problema recorrente no Brasil que, por ano, mata cerca de 80 mil pessoas, uma a cada cinco minutos.

O infarto não escolhe raça, sexo ou idade. Porém, existem alguns fatores de risco que tornam a pessoa mais propícia ao evento, entre eles estão: estresse emocional, tabagismo, diabetes, sedentarismo, hipertensão arterial, histórico familiar de problemas coronarianos, alto índice de colesterol, obesidade e ansiedade.


Os sinais e sintomas do infarto

A primeira pista que indica que a pessoa pode estar sofrendo um infarto é um grande desconforto causado pela dor intensa sentida no centro do peito e irradiado para a mandíbula, pescoço, ombros e braços, principalmente o esquerdo. Além disso, a pessoa também pode ter uma sensação de desmaio, suor excessivo, náusea e falta de ar. "Quando o corpo 'falar' é sinal que o coração está em alerta, por isso, procure socorro imediatamente", alerta Marcelo Cantarelli, cardiologista e coordenador da campanha Coração Alerta.

A máxima "dor acima do umbigo é sinal de perigo" é verdadeira, portanto, se você estiver com alguém que apresente os sintomas citados acima por mais de dez minutos, não perca tempo, busque ajuda médica urgente. Enquanto o socorro não vem, é necessário que sejam seguidos alguns procedimentos:

- Tranquilizar e aquecer a vítima;
- Não dar nada para a pessoa ingerir;
- Se a vítima desfalecer, confira se ainda há respiração e pulso. Na falta desses sinais vitais, dê início aos procedimentos de recuperação cardiopulmonar e mantenha-os até que o socorro chegue;
- Nunca transporte a pessoa desfalecida, pois ela corre risco de morrer no caminho;
- Deixe-a em posição confortável, levemente inclinada e afrouxe suas roupas.

Tempo é vida, portanto, quanto maior o tempo perdido, maior o risco. "É ideal que o paciente seja encaminhado para um hospital na primeira hora do início dos sintomas", diz o cardiologista. Porém, no Brasil, as vítimas de infarto demoram de 2 a 3 horas para procurar auxilio, na maioria das vezes, por confundirem os sintomas de infarto com de outros problemas. O que as pessoas não sabem é que, quanto mais rápido elas forem socorridas, maior a chance de sobreviver, reduzindo assim a estatística de morte drasticamente e, quando este socorro é procrastinado, a taxa de mortalidade aumenta.


Procedimentos

Depois que a vítima for devidamente socorrida, o tratamento utilizado para o infarto é desentupir a artéria coronária cuja obstrução está causando o problemas. Isso pode ser feito utilizando-se uma medicação chamada trombolítico, que dissolve o coágulo de sangue. Também pode ser realizado através da angioplastia coronária onde a desobstrução é feita por meio do cateterismo cardíaco, no qual um cateter é introduzido de uma artéria periférica (localizada na região dos membros superiores ou da virilha) até o coração para que haja injeções de contraste com o intuito de obter imagens em raio-x para identificar a presença de placas de gordura e o local da obstrução da artéria.

Identificada a obstrução, realiza-se a angioplastia por meio de um cateter com um minúsculo balão na ponta, o qual é insuflado dentro da artéria problemática, destruindo assim as placas de gordura e sangue que entupiram essa artéria. 

Para a realização deste procedimento também faz-se uso de uma mini tela feita de aço chamada stent que quando implantada, tem a função de manter a artéria aberta, restabelecendo o fluxo de sangue para o músculo do coração. Quando esses procedimentos médicos são realizados nas primeiras horas após o incidente, os índices de sucesso são altos.

Reduzir mortes por infarto é uma atitude para todos, por isso, fique alerta, acesse o site www.coracaoalerta.com.br e participe dessa mobilização em prol da vida.


OBS: Este não é um post patrocinado.



Nenhum comentário:

Postar um comentário