quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Procedimentos estéticos em homens cresce 15% em 10 anos

O Brasil é um dos cinco países que mais fizeram tratamentos estéticos em homens durante 2013. Perdeu somente para os Estados Unidos. Na sequência estão México, Alemanha e Espanha.

Os dados estão no relatório divulgado pela Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética que traz números sobre cirurgia plástica ao redor do mundo em 2013: ao todo, foram 23 milhões de cirurgias plásticas no ano passado sendo que 12,8% delas em homens.


Segundo o levantamento, as mulheres ainda são as que mais procuram procedimentos estéticos desse tipo, embora cada vez mais homens estejam tendendo mais para essa modalidade, em busca de atingir a beleza ideal e a satisfação pessoal.

Estes dados são confirmados em consultório pela dermatologista Carla Pecora: 35% dos pacientes dela são do sexo masculino. "Vem ocorrendo um aumento da procura de homens por procedimentos estéticos. Inicialmente eles ficavam mais constrangidos e acabavam não perguntando a respeito. Hoje eles já abordam como primeira queixa, e os mais tímidos são trazidos pelas esposas que já fazem algum procedimento e querem começar a tratar", revela a médica.

A principal queixa masculina continua sendo a calvície. Em segundo lugar vem tratamento da oleosidade da pele e comedões (cravos), seguido pelas linhas de expressão. E quando falamos de procedimento estético, a toxina botulínica é o produto mais usado.


"Acredito que seja consequência do resultado natural (principal preocupação dos pacientes masculinos) e também porque não exige um período de recuperação onde eles tenham que ficar afastados. Podem realizar e permanecer no anonimato inclusive quando aplicado em outras áreas (que não a face), como no caso do tratamento da hiperidrose axilar com toxina botulínica", diz Carla Pecora.

O que faz este número de homens que já aderiram aos procedimentos estéticos não ser ainda maior é o receio de alguns: segundo a dermatologista Carla Pecora, o preconceito praticamente não existe mais porém eles ainda temem um resultado pouco natural e temem que outra pessoa perceba.


"As técnicas de aplicação são diferentes entre homens e mulheres: o sexo masculino recebe mais quantidade de produto do que a mulher para, por exemplo, tratamentos de rugas de expressão. É isso que vai garantir uma face mantendo características masculinas, em contrapartida a traços feminilizados", explica a médica.

Aqui no Brasil, segundo a Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética, mais de 308 mil homens preferiram procedimentos não cirúrgicos e os 5 preferidos foram: aplicação de toxina botulínica, preenchimento cutâneo, peeling químico, resurfacing com CO2, dermoabrasão, remoção de pêlos a laser e rejuvenescimento facial não invasivo.



Nenhum comentário:

Postar um comentário