segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

A busca pelo corpo e rosto perfeitos

O que seria a realização de um sonho pode acabar tornando-se um grande pesadelo. Com as cirurgias plásticas cada vez mais acessíveis, muitas pessoas recorrem a profissionais que não estão capacitados a realizá-las e acabam deformando o rosto e o corpo, trazendo transtornos aos pacientes. Algumas etnias, por exemplo, acabam exagerando nas mudanças. Na Ásia uma característica bastante marcante é a busca pela ocidentalização da aparência. As mudanças são tão fortes que algumas pessoas se tornam irreconhecíveis, precisando mudar seu passaporte ou carteira de identidade.


A busca pela ocidentalização é mais comum na China e na Coréia, onde os pacientes vão em busca de um rosto caucasiano. "São comuns relatos de cirurgiões plásticos de pacientes orientais que chegam nos consultórios querendo um rosto americano. Eles querem deixar de ter os traços físicos que os caracterizam como tal. As mais comuns vão desde operações nas pálpebras até intervenções para raspar o nariz e remodelar o contorno da face", explica o cirurgião plástico, Dr. Alexandre Kataoka. As intervenções são tão absurdas que algumas mães coreanas pedem para que o músculo debaixo da língua, que se conecta ao fundo da boca, seja cirurgicamente cortado em seus filhos, na crença de que eles consigam falar inglês com mais clareza.

Há também aquelas mulheres que buscam os seios grandes, principalmente na Europa e na América do Norte. "Em alguns casos, elas querem seios maiores que 350ml, já considerados grandes. Se tentarmos utilizar uma prótese muito grande em uma paciente que não tenha pele suficiente isso poderá levar a estrias na mama e a dores, além de poder ocasionar dobras na prótese por não haver espaço suficiente para ela se adequar. Dores nas costas ocasionadas pelo uso de próteses ocorrem quando essas são excessivamente grandes para a paciente", alerta o cirurgião plástico. 


O bumbum "Made in Brazil" é bastante pedido, mas em alguns casos o tamanho também ultrapassa o que é considerado normal. Para evitar transtornos, o mais recomendável antes de qualquer cirurgia plástica, indica o especialista, é procurar um bom profissional e pesquisar bastante sobre o assunto. "Sempre cheque se o médico possui registro na Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP) e se possui o título de especialista, o que o torna habilitado para fazer a cirurgia com toda segurança", alerta.


Sempre peça para que o cirurgião explique cada passo do procedimento na sua primeira consulta, para que haja uma confiança entre paciente e médico. "Nunca esqueça de verificar o local onde será realizado o procedimento, o hospital ou a clínica. Ele deve ter uma boa infraestrutura e todos os recursos necessários para que haja segurança durante a cirurgia", finaliza Dr. Alexandre Kataoka.

Nenhum comentário:

Postar um comentário