segunda-feira, 9 de março de 2015

CUIDADO: Efeito Sanfona pode detonar o coração!

As dietas fazem o maior sucesso e viram febre. Seus seguidores juram de pé junto que os efeitos são maravilhosos, mas esquecem de avaliar o perigo que elas causam. Emagrecer de forma rápida e muitas vezes descontrolada é muito perigoso para o organismo e pode desencadear sérios problemas de saúde. De acordo com o cardiologista e diretor da Angiocardio, Hélio Castello, o coração é um dos órgãos que mais sofre com o efeito sanfona, mas reforça que todo o organismo perde por conta de tanto radicalismo. "Perder peso de forma rápida e restritiva faz com que o organismo mude drasticamente seu ritmo. Tudo começa pelo cérebro, que não entende a mensagem quando há perda rápida de peso e para manter a "reserva" de energia faz com que o metabolismo fique muitas vezes mais lento", relata o médico.


Tanta restrição também pode causar o desequilíbrio das taxas hormonais e descompensar as taxas de sais minerais e vitaminas. O cardiologista alerta que o consumo de gordura "boa" é importante e não deve ser eliminado. "O consumo de gorduras saudáveis ajuda no bom funcionando de órgãos como fígado, pulmões e coração e não pode ser eliminado totalmente. A ingestão de proteína também é importante, pois acelera o metabolismo e ajuda no ganho muscular", destaca o médico. Mas cuidado com a dieta da proteína, a famosa Dieta Dukan. Segundo Dr. Hélio, o consumo excessivo de proteína pode sobrecarregar os rins. "O carboidrato é uma excelente fonte de energia para o organismo e não deve ser abolido", completa.

Mas e o coração? Como ele sofre com essas loucuras? De acordo com o cardiologista, emagrecer rapidamente e depois engordar exige muito do órgão, que precisa se adaptar as novas características físicas do paciente. "Independente da dieta escolhida, essa oscilação de peso causa problemas cardiovasculares como aumento de colesterol, aumento da pressão arterial e alterações da função renal, comprometendo secundariamente o coração e os vasos. Há registros também de doenças coronarianas causadas por conta dessas dietas ricas em gordura", acrescenta Hélio Castello.


Quem quer ficar em paz com a balança deve ter uma alimentação equilibrada. Já quem deseja eliminar os quilinhos extras e ainda manter a silhueta, a palavra de ordem é reeducação. "Reaprender a comer e fazer atividade física é o grande segredo de uma dieta de sucesso", finaliza o cardiologista.

Abaixo as 4 dietas mais perigosas:

Dieta da Proteína: A dieta rica em gorduras tende a aumentar os níveis de colesterol e triglicérides no sangue pelo aumento da oferta, aumentando a médio e longo prazo, a exposição ao risco de aterosclerose com obstruções arteriais.


Dieta da Sopa do Incor: A ingestão restritiva com completa ausência das gorduras implica em perda do componente essencial na formação das membranas celulares, diminuindo a proteção das células, além de influenciar no controle da temperatura corpórea. É importante que haja em torno de 30% de gordura na alimentação e que seja preferencialmente composta de gorduras insaturadas, que são mais saudáveis.


Dieta do Ovo: Existem muitos relatos de dietas ricas em ovo. Acredito que o ovo possa fazer parte da dieta como os demais alimentos também o fazem, mas uma dieta baseada apenas em ovo não faria muito sentido.


Dieta da Papinha: Há falta de nutrientes básicos, como os macro e micro nutrientes, sendo assim, o uso prolongado acarretará malefícios e até desnutrição. Além disso, há o inconveniente de diminuir a mastigação que faz parte do processo alimentar.


Nenhum comentário:

Postar um comentário